quinta-feira, 7 de abril de 2011

De onde vem os sobrenomes?


Olá amigos.

Como vocês devem saber meu nome é Paulo. Agora imaginem só a loucura se não existissem os sobrenomes? Pra descobrir qual Paulo criou o blog “Ensaios Antropológicos” seria algo bem difícil. E a menos de mil anos atrás era assim, mesmo!

Hoje o sobrenome é obrigatório para registrar um cidadão, mas era um privilégio até o fim da Idade Média... apenas nobres tinham um complemento oficial ao nome próprio, geralmente ligado à região em que eram soberanos. Mas conforme a população começou a aumentar e circular, um nome só, ainda que composto, como “João Carlos” ou “Maria de Fátima", não era mais suficiente para distinguir os plebeus... e o povo passou a ser identificado também por seu ofício, cidade de origem, fortuna, físico, personalidade. Para ficar em exemplos portugueses, foi assim que surgiram sobrenomes como Ferreira (ferreiro), Lisboa, Rico, Longo, Valente, etc.

O meu sobrenome, mesmo, diz muita coisa dos meus antepassados. Vamos ver: “Prado” veio dos judeus novos do norte de Portugal, enquanto que o “Medeiros” vem da Ilha da Madeira... os “madeiros”. Como o sotaque da terrinha é de cortar o som da letra “a” (m’deiros), ficou como se lê hoje em dia. Ainda tem uma parte italiana, dos “Brunetti”, que não vou entrar em detalhes aqui para não ficar muito longa essa nossa prosa.

Como diria Tim Maia se tivesse nascido na Ilha da Madeira: “De Moniz a Funchal...” :)

Voltando ao tema... aos poucos o hábito de se colocar um sobrenome ao nome próprio se disseminou e foi sendo passado para as novas gerações. Em 1370, já se encontra a palavra “sobrenome” em documentos oficiais de diversos países. A partir daí, a diferença passou a ser a maneira de usá-los.

Veja como varia a composição oficial de um nome em vários países do Ocidente... não vamos nem entrar no Oriente porque por lá a coisa é muito complicada em relação a nossa cultura:


Espero que possa ter matado a curiosidade de vocês.

Paz e bem.

P.

"Conheces o nome que te deram, não conheces o nome que tens." 
José Saramago

.

2 comentários:

  1. Muito bom primo por falar nos Brunetti você sabe os nomes dos nossos bisavós?

    O nome do bisavô é Gionas Brunetti porém eu não me lembro que foi que disse que ele tinha ainda um nome após Gionas que era Ubaldo ou Baldo, mas alguns documentos constam como Jonas.

    O nome da bisavó é Domenica Brunetti pelo menos é o que consta no túmulo dela em Porto Ferreira, mas alguns documentos constam o nome já aportuguesado de Domingas, e outro consta como Assunta.

    Eu consegui localizar uma lista do desembarque.

    José Eduardo Mainardi

    ResponderExcluir
  2. Pois é... na verdade sao meus tataravós :) a minha bisavó é a Ana Brunetti, sua tia avó... o q minha mãe lembra e me disse é q o pai dela (ou avô?) era restaurador das obras de arte do vaticano... ou algo do tipo.

    esse negocio de "abrasileirar" o nome foi um absurdo não é? ainda bem q nao mexeram no sobrenome... eu tinha um colega q se chamava "forte", pk traduziram o sobrenome do bisavo dele q veio pra ca (Forti).

    enfim, coisas q nao se pode mais mudar...

    abraços!

    ResponderExcluir

Concordou? Não concordou? O importante é o debate. Deixe aqui suas idéias a respeito deste texto. E também digam aqui como acharam o blog, ok? Vai me ajudar bastante. :)